Loading...



Importância da avaliação odontológica em crianças

Publicado Terça-feira, 2 de abril de 2019

As principais fases do desenvolvimento dos dentes podem ser divididas em, fase da dentição decídua (de leite), fase da dentição mista e a fase da dentição permanente. Gostaria de salientar a segunda fase, da dentição mista. Nela ocorrem as trocas dos dentes e do ponto de vista odontológico, marca a transição da fase infantil para a fase adulta. É neste momento que alguns dos problemas bucais e faciais relacionados ao crescimento facial e posição dos dentes começam a ficar mais pronunciados. Por isso, essa fase merece muita atenção. Vamos entender um pouco do desenvolvimento da dentição. Na maioria das pessoas a primeira dentição se estabelece entre os seis meses e os dois anos de vida. A partir dos seis anos, inicia-se a troca da dentição de leite para a permanente e por volta dos 12 anos, teremos quase todos os dentes permanentes em plena ação.

Na maioria das pessoas o nascimento do primeiro dente permanente ocorre aos cinco anos, por isso a avaliação dentária é de grande importância. Examinando uma criança aos cinco anos de idade o dentista poderá observar se os dentes se encontram na fase adequada de seu desenvolvimento, se estão posicionados corretamente ou não. Exames complementares como a radiografia panorâmica ajudam em muito a detecção precoce e prevenção de problemas. Alguns problemas mais comuns possuem nomes bem complexos como desvio do caminho eruptivo, má oclusão, agenesia, discrepâncias entre a estrutura óssea e o tamanho da peça dentária, dentes impactados e por ai vai. Seu dentista poderá identificar esses problemas e propor uma ação eficiente para contorna-los.

E o mais interessante é que algumas técnicas permitem usar o próprio crescimento da face da criança para acelerar o direcionamento dos dentes, evitando aparelhos e cirurgias.  Na EXPRESSÃO acreditamos que a prevenção é a melhor opção sempre. E por isso incentivamos o check-up preventivo digital, a realização de radiografias a cada dois anos e avaliação com odontopediatra, ortodontista e ortopedista funcional dos maxilares para que a criança consiga ter sua dentição permanente mais próxima da ideal.